Vinho Sul Africano House of Mandela Pinotage 750ml

Vinho Sul Africano House of Mandela Pinotage 750ml

Código: 0424288

Categorias: VINHOS / Tinto


Resumo: Os vinhos desta coleção especial possuem este nome em homenagem a tribo Thembu de onde veio o grande Nelson Mandela. Tribo esta que se caracteriza... leia mais

R$99,00

até 12x de R$9,94

Compre com segurança

Compartilhe


Produtor: House of Mandela

País: África do Sul

tipo: Tinto

Região: Western Cape 

Uvas: 100% Pinotage

Volume: 750ml

Harmonização: Acompanha desde pizzas e massas a pratos elaborados com carne vermelha.

House of Mandela é dedicada a servir ao mercado com vinhos de alta qualidade que transmitam a essência do espírito da família Mandela e da cultura do povo sul-africano. Apesar de existir a muitos anos, o projeto da vinícola surgiu em 2010 e pertence à família Mandela, que possuem duas grandes linhas de vinhos: a Reserva Real e a Coleção Thembu. Estes vinhos são resultado das duas melhores regiões produtoras do país: Stellenbosch e Paarl. Com os vinhos da Coleção Thembu, capturam a essência da cultura, patrimônio, raiz, valores de família e todos os outros valores que defendem. Os vinhos refletem as lições que aprenderam com seus ancestrais da tribo Thembu e desta maneira engarrafaram estas histórias para que elas cheguem a todo mundo. House of Mandela é simbolicamente representada pela “Abelha”, que também é um símbolo para o povo sul-africano. A “Abelha” é o polinizador de culturas alimentares, sem ela, o mundo seria mudado para sempre. Para House of Mandela, a abelha representa coragem, compaixão, preocupação com próximo, através de atos de bondade e de partilha. As asas das abelhas também representam as ramificações da família e retrata o ciclo interminável de vida.O vinho melhora com a idade e é um símbolo poderoso de transformação. O vinho tem de ser muito bem cuidado e é usado em muitas comemorações. Por isso o desejo dos Mandela é que desfrutemos seus vinhos com familiares e amigos e realmente sintamos o gosto de suas histórias ao contar as nossas, pois “Na água vê-se o rosto, mas no vinho contempla-se o coração”.